Skip to content

Archive:

March 2007

De Frescuribus non Proliferandus Est (ou Deveriabus Ser) III

Se você não leu a segunda parte, clique aqui. Se não leu também a primeira parte, clique aqui. Estimados clientes, Os restaurantes têm uma medida para as taças de vinho. A menos que você perceba que há uma variação na quantidade, por favor entenda que o preço cobrado é pela quantidade de vinho calculada, e […]

De Frescuribus non Proliferandus Est (ou Deveriabus Ser) II

Se você não leu a primeira parte, clique aqui. Lição Três: Sobre como eu, que estou pagando e não gostei do vinho, mando devolver a garrafa, que está ruim. Pois é, meus amigos. Eu gostaria de ter um “dinheiros” (D$, moeda corrente no mundo da imaginação dos clientes de restaurantes) para cada garrafa bouchonée que […]

De Gustibus Non Disputandum Est 2

  Se você não leu a primeira parte, clique aqui.   Muito bem, vamos retomar o Gosto. É fácil observar toda a polêmica dos infinitos debates sobre a tecnologia de produção, sobre as opções que o enólogo tem. Qualquer apreciador com um pouquinho mais de tempo de taça já se embrenhou em uma conversa: · […]