Archive

Arquivos de November, 2008

Pra completar – ainda sobre notas

Opa, opa! Gostei do movimento gerado pelo último post. Para adicionar conteúdo ao debate, um trecho de entrevista da Veja com a especialista Jancis Robinson, em que ela fala justamente sobre a diferença de opiniões entre os avaliadores (os negritos e itálicos são resultado da minha intromissão):

Veja – Há quatro anos, a senhora deu uma nota baixíssima a um vinho bem avaliado por outro crítico respeitado  — e controverso — , o americano Robert Parker. Afinal, chegou-se à conclusão de quem estava certo?
Jancis A verdade é que não existe certo e

Imagine there’s no scores…

Há muito tempo, numa galáxia distante (cronologicamente, pelo menos, já que foi em Março de 2008), li no Winecast uns comentários do Tim Elliot sobre um post de um blog desconhecido pra mim (continua desconhecido até hoje), o Rockss and Fruit sobre um terceiro artigo (que aparentemente ninguém na internet conseguiu linkar – nem mesmo o Google!) de David Lillie, um reputado lojista nova-iorquino, sobre o sistema de pontuação. Ele começa assim:

“Quando a escala de 100 pontos para avaliar vinhos foi adotada por… Leia mais...

Uma proposta modesta; abandonar a escala de 100 pontos

Não era minha idéia utilizar um post pra publicar a tradução do artigo de David Lillie, mas me vi sem alternativa para fornecer o material original para quem ler meus rabiscos sobre ele, então aí vai:

“Quando a escala de 100 pontos para avaliar vinhos foi adotada por Robert Parker e subseqüentes escritores e publicações, pareceu ter um benéfico e estimulante efeito no cenário norte-americano do vinho. Consumidores que não tinham conhecimento e experiência, ou tinham suspeitas com relação ao mercado do vinho

Aperitivo

Ainda não dá pra gastar umas horinhas martelando o teclado com Peripécias, mas para aperitivar, ouvi hoje de Didú Russo, um verdadeiro personagem do mundo do vinho brasileiro – talvez o mais folclórico, eu diria, com seus discursos inflamados, seus vídeos divertidos e suas gravatas e ternos estampados e coloridos – que o consumidor brasileiro paga 10 garrafas de vinho para beber 1:

  • 4 vão para os donos de restaurantes
  • 3 vão para o governo
  • 2 vão para os importadores
  • e 1 vai para o produtor.

Fico triste com a realidade da coisa… Didú, como é que… Leia mais...