Home > Provas > Notas rápidas de sábado à noite

Notas rápidas de sábado à noite

February 13th, 2011 Rabiscaí! Checa os rabiscos.


Lineup na pia da cozinha, melhor passarela pra uma garrafa.

Finalmente em companhia do Chico e da Cata, arrematamos o último golinho do Château Chalon 1990 do Courbet (que eu surrupiei no penúltimo encontro de quinta) pra abrir o apetite e refrescar do calor burro, praticamente entornamos um Clos Mathis 2006 do Ostertag e passamos a noite descobrindo o Barbaresco Brich Ronchi 2004, de Albino Rocca, este último trazido pelo Chico debaixo do braço.

No prato, Ceviche do Chico e arroz negro com manga e camarões no molho secreto de gergelim (alho, cebola, gergelim branco, gergelim preto, azeite, nam pla, óleo de gergelim e gengibre ralado). Pós-jantar, pouquinho de Guiraud 1999 e outro restinho surrupiado, Vouvray Moelleux 1989 do Huet, froyo com calda de amoras pra fechar.

Clos Mathis 2006 – Alsace Riesling – Domaine Ostertag
Dourado médio, cor impressionante. Nariz intenso, querosene marcante, grapefruit, muito mel e flores brancas, notinha de botrytis? Evoluído/indo. Boca sedosa, volumoso, com uma sensação de untuosidade/gel que faz pensar de novo em botrytis. O mel do nariz se repete, sem açúcar. Acidez média +, abaixo do que eu gostaria pra um vinho tão gordo e longo.

Brich Ronchi 2004 – Barbaresco – Albino Rocca
Mais de hora e meia no decanter, pouca borra. Concentrado, rubi médio, muito violáceo ainda. Nariz de instensidade média +, muita fruta (cereja e framboesa), algo resinoso e terroso, madeira muito marcada (velha?), tabaco. Em boca é tão concentrado quanto promete a cor, com muitos taninos, muito novos, ainda ásperos. Sobra fruta pra todo lado, a coisa vegetal também é forte, com tabaco e madeira ficando junto à fruta no final longo. Chocolate, anis e cereja sobram por algum tempo, os taninos secam um pouco. Merece adega por mais 10 anos.

Life is good.

  1. No comments yet.
  1. No trackbacks yet.