Archive

Arquivos da Categoria ‘Livros’

Bibliografia – Livros Específicos: Regiões – Jerez #sherryweek

Leu o que veio antes? Aqui vão mais algumas referências bibliográficas. Neste post, minha seleção de livros sobre a região que faz meus vinhos prediletos – Jerez de la Frontera. Se você é millennial, instragrammer ou preguiçoso mesmo, a linha final de cada parágrafo resume porque o livro faz parte da lista. Você é louco por Jerez? Leve todos os eles.

Eliminei tudo que é excessivamente acadêmico, específico de algum produtor ou sub-região, está fora de catálogo há mais de duas décadas ou que tenha sido escrito em inglês… Leia mais...

Entre queijos e vinhos

Parece até nome de música baranga e, na prática, é meio que isso mesmo. Todo mundo sabe que eu gosto de queijo mais do que da minha mãe de chocolate, mas desde antes de vinho virar moda eu já tava meio irritado com tanta plaquinha e panfleto de “queijos e vinhos”. Aí passei um tempo – uns anos – pensando no assunto, donde essa nuvem cinza de texto aqui embaixo:

Então, as plaquinhas e convites eram pra essas maravilhosamente decadentes noitadas em que toneladas de cubinhos brancos e facas sujas de mofo azul se misturam às taças de brancos e tintos, mas especialmente… Leia mais...

Bibliografia 5 – Livros Específicos: Degustação e Variedades – Atualizado!

Leu o que veio antes? Em frente com esse bloco gigante que trata de bibliografia. Neste post, os melhores livros para aprender sobre degustação e variedades de uva.

Falar de degustação e não falar de variedades não cola. As duas coisas andam meio juntas, porque embora haja infinitos fatores que influenciam o estilo e a qualidade dos vinhos, a variedade é fundamental. Aprender a degustar demanda aprender sobre variedades e vice-versa, então…

[ATUALIZAÇÃO] – acrescentei aqui um par de coisas pros fanáticos sobre variedades de plantão… por enquanto… Leia mais...

Projeto WSET Diploma – Bibliografia Parte 3: Revistas

Leu o que veio antes? Em frente com a bibliografia para o Diploma do WSET!  Aqui uma análise das principais revistas do mercado internacional (são muitas!). Ainda vêm: sites e livros sobre temas específicos.

Sim, as revistas. As boas revistas. Elas são lindas. São tentadoras. Têm artigos muitas vezes incomparáveis. E, sinceramente, talvez valha poupar a grana da assinatura. A menos que você catalogue cuidadosamente cada edição (indicando em um aplicativo ou planilha excel o número, o assunto, as palavras-chave, etc.) e depois volte lá para

Projeto WSET Diploma – Bibliografia Parte 2: Semi-oficial

Leu o que veio antes? Aqui vamos seguir analisando uma bibliografia recomendada para os estudos do Diploma in Wines and Spirits do WSET. Esta seção, no entanto, já serve bastante bem para qualquer pessoa com interesse em aprofundar-se no mundo dos vinhos. Ainda virão: mais livros, revistas, sites. 

Um aspirante a candidato me escreveu uma vez perguntando se eu conhecia alguém que tinha os “livros” do Diploma usados para venda – com livros ele quis dizer os “study guides”, apostilas com conteúdo resumido… Leia mais...

Projeto WSET Diploma – Bibliografia – Parte 1: Oficial

Leu o que veio antes? Este post faz parte de uma análise do Diploma in Wines and Spirits da instituição inglesa WSET e é a primeira parte que trata da bibliografia disponível para candidatos à qualificação. Há mais por vir, analisando livros, sites e revistas para estudantes de vinho de qualquer tribo.

Wine books can be expensive, difficult to get hold and can quickly become out of date. Students should not feel obliged to spend time and money tracking them down.”

Guia de Vinhos sob nova administração

Não é sem motivo que são os mais velhos a levar adiante a tocha do vinho – é um universo que requer contato prolongado e, porque não, boa dose de recursos financeiros para permitir aquisição de experiência, avanços concretos e compreensões aprofundadas.

Os grandes enólogos, os maiores autores, os mais famosos degustadores, principais expoentes da cultura enológica, são respeitáveis senhores com algumas – as vezes várias – décadas de experiência.

Temos visto com freqüência (suficiente para que já esteja próximo do clichê) os destaques da mídia para a nova guarda da enologia mundial: filhos, sobrinhos… Leia mais...

Pra não dizer que fui embora

A cada dia eu ponho um tijolinho aqui, quem sabe a casa fica pronta?

Pra não dizer que eu fui embora também de BH, vai uma forcinha pra quem quiser ler uma coletânea de artigos que é praticamente um curso básico de vinhos: Leia mais...

"A biodinâmica é um embuste"

Pesado, não?

Não é só uma frase de alguém – é o nome de um blog, inteiramente dedicado a desmanchar a imagem que a biodionâmica alcançou e a dimensão quase religiosa com que vem se expandindo. O autor, o enólogo Stuart Smith, decidiu embarcar nessa viagem (sem volta, devo dizer) ao assistir um vídeo de outro enólgo, Mike Benzinger, em que este apresentava o uso de chifres no preparo de compostos como uma “prática camponesa ancestral”.

Baseada nas palestras de Rudolph Steiner, hoje a biodinâmica mistura as linhas de cultivo orgânico e sustentável com uma série de práticas que envolvem homeopatia, astrologia em uma espécie de holística que integra até a agricultura “espiritualmente.” Complicadinho, né. Vocês não viram nem o começo. Leia mais...

Maria Thun e a degustação biodinâmica de vinhos

Quando li pela primeira vez que se falava em “degustações biodinâmicas” ao invés de simplesmente “vinhos biodinâmicos”, procurei saber um pouco mais mas não dei muita bola ao assunto. Descartei-o como uma forma de fanatismo ou lobby dos produtores biodinâmicos e não pensei mais nisso.

Gosto muito dos vinhos biodinâmicos em geral: sem entrar no mérito das técnicas de cultivo e produção que caracterizam um grupo cada vez maior de produtores que aplicam os ensinamentos do austríaco Rudolf Steiner, seus vinhos são, em geral, extremamente bem produzidos, ricos em sutilezas aromáticas, equilibrados e representativos… Leia mais...