Archive

Arquivos da Categoria ‘Matérias’

Tornando-se um Master of Wine, por Richard Hemming

Richard Hemming formou-se em Letras antes de migrar para o mundo do vinho e trabalhou por quase seis anos na rede inglesa Majestic, antes de tirar um ano inteiro para acompanhar os trabalhos em uma vinícola australiana. Ele completou o Diploma do WSET em 2006 e vem contando suas experiências no mundo do vinho no site de Jancis Robinson, do qual é colaborador assíduo, sob a forma de um diário, ultimamente com foco no programa de formação do Institute of Masters of Wine, do qual é aluno desde 2009. … Leia mais...

Tornando-se um Master of Wine, por Debra Meiburg MW

A americana Debra Meiburg é Master of Wine desde 2008 e vem se dedicando a ensinar sobre vinho há anos, com atuação de grande relevo no mercado asiático. Baseada em Hong Kong, Debra foi eleita “Mais influente jornalista em Hong Kong” em 2007 e é colunista semanal do South China Morning Post.

Neste artigo, publicado originalmente na revista Tatler, ela conta um pouco sobre o seu percurso durante os exames para a obtenção do título mais respeitado do mundo do vinho e inaugura uma série “comemorativa” da minha graduação no Diploma do WSET, em

Os ingleses, os espumantes, os espumantes ingleses.

Stephen Skelton, MW, é desses caras que não largam o osso: começou a vida profissional no mundo do vinho produzindo na Inglaterra, pioneiro. Passou uns anos na Alemanha, trabalhando com um dos gênios do vinhos no país, Dr. Helmut Becker (que pra muita gente das minhas vidas passadas é nome de escalador) para voltar pra Inglaterra e fazer mais vinhos, com essas uvas que ninguém sabe o que são nem quando está escrito (Bacchus, Elbling e montes de coisas terminadas em -rebe). Os alunos do Diploma no WSET devem conhecê-lo pelo livro de referência… Leia mais...

Categorias: Debate, Matérias, Provas Tags:

Em tempos de internet…

Como as desculpas pelo tempo em silêncio já viraram cabeçalho nesse blog, vou passar a saltar essa etapa e ir direto ao assunto.

Alguns já perceberam que as mudanças ainda estão acontecendo, a começar pela migração para um servidor estrangeiro (o que rendeu uns dias fora do ar, mas libertas quae sera tamen, já não tenho restrições de espaço, tráfego nem domínios e tudo por um terço do preço nacional!) e essa cara branca do blog meio sem cuidado, que é pra dar um tempo antes da aplicação do layout que tá no forno (tô esperando… Leia mais...

"A biodinâmica é um embuste"

Pesado, não?

Não é só uma frase de alguém – é o nome de um blog, inteiramente dedicado a desmanchar a imagem que a biodionâmica alcançou e a dimensão quase religiosa com que vem se expandindo. O autor, o enólogo Stuart Smith, decidiu embarcar nessa viagem (sem volta, devo dizer) ao assistir um vídeo de outro enólgo, Mike Benzinger, em que este apresentava o uso de chifres no preparo de compostos como uma “prática camponesa ancestral”.

Baseada nas palestras de Rudolph Steiner, hoje a biodinâmica mistura as linhas de cultivo orgânico e sustentável com uma série de práticas que envolvem homeopatia, astrologia em uma espécie de holística que integra até a agricultura “espiritualmente.” Complicadinho, né. Vocês não viram nem o começo. Leia mais...

Almoço, por favor.

Hoje, como outras vezes, não almocei. Sentado no computador, respondendo e-mails e montando planilhas, beliscando biscoitinhos com café expresso ou chá que diligente e cuidadosamente a Cris veio trazendo ao longo da manhã, só me dei conta da hora de almoçar quando já era tarde e eu teria que passar mais duas horas trancado numa sala. Me lembrei, de imediato, do Hugh Johnson.

Poucas pessoas no mundo têm o misto de experiência, conhecimento, sensibilidade e reflexões sobre vinho e tudo o que lhe circunda como Hugh Johnson, mentor de Jancis Robinson

O perigo da imodéstia

Jancis Robinson publicou hoje, em seu site, um artigo de seu colaborador Richard Hemming sobre os espumantes ingleses e a polêmica declaração – com mais de 150 anos!!! – Leia mais...

Superficialidade, blogs e a pobre mídia brasileira

A superficialidade me assusta: ela é cômoda, fácil de atingir. Pior: virou demanda de mercado! “Não há tempo! Não há tempo!” – gritam, correndo, os coelhos. Os posts têm que ser curtos, as matérias das revistas não ensinam nada, os debates servem para mostrar “quem é que tem razão” ou quem consegue espetar o fígado do outro melhor.

Tenho cerca de 20 rascunhos gravados, esperando tempo para aprofundá-los. Três ou quatro posts foram publicados e aguardam seqüência até hoje. Não há tempo! Não há tempo!

Prometi pra alguns um post sobre… Leia mais...

Até as leveduras

Esse post ficou perdido nos rascunhos!

Just-drinks.com mandou contar que as leveduras também fazem “timinho”: um grupo de cientistas dos EUA, Bélgica e França descobriu que as leveduras com o gene FLO1 se juntam para defender-se de ameaças (como o álcool e os antibióticos) e deixam as que não têm o mesmo gene de fora.

“Mó clubinho”, diria um amigo meu.

Exercício de degustação Online

Nota rápida, enquanto eu leio as 389 notícias do vinho que a semana não me permitiu ler.
Pela primeira vez encontrei no site da Wine Spectator algo que DE FATO despertasse meu interesse (o sisteminha de busca por notas deles é fajutiiiiiinho…) e ainda mais: serve de exercício e teste.

A seção “What Am I Tasting” propõe uma nota de degustação quinzenalmente para que possamos tentar acertar “Variedade de Uva”, “Idade Aproximada do Vinho”, “País/Região de Origem” e “Denominação” a partir das características descritas. Não só é divertido para quem gosta de vinho como, especialmente para… Leia mais...