Archive

Posts com a Tag ‘Degustação’

Entre queijos e vinhos

Parece até nome de música baranga e, na prática, é meio que isso mesmo. Todo mundo sabe que eu gosto de queijo mais do que da minha mãe de chocolate, mas desde antes de vinho virar moda eu já tava meio irritado com tanta plaquinha e panfleto de “queijos e vinhos”. Aí passei um tempo – uns anos – pensando no assunto, donde essa nuvem cinza de texto aqui embaixo:

Então, as plaquinhas e convites eram pra essas maravilhosamente decadentes noitadas em que toneladas de cubinhos brancos e facas sujas de mofo azul se misturam às taças de brancos e tintos, mas especialmente… Leia mais...

O Problema dos Aromas – Final?

Este artigo é a terceira parte de uma série. Leia a primeira aqui e a segunda aqui.

O olfato é provavelmente o sentido que menos recebe nossa atenção: estamos dominados pela visão, perdidos em meio aos sons, impotentes diante da força do tato e, quando se trata de nariz, oprimidos pela fumaça dos escapamentos e pelos cheiros intensos da comida óbvia e dos aromatizantes artificiais.… Leia mais...

O problema dos aromas – Parte 2

Sabemos – e é fácil verificar em laboratório –  que os responsáveis pelas sensações que os degustadores descrevem com nomes de frutas, especiarias, flores e outras coisas são, de fato, componentes químicos específicos.

Esses componentes, que estão dissolvidos no vinho, têm origem às vezes nas próprias uvas, mas, mais frequentemente nos processos de fermentação, amadurecimento e envelhecimento do vinho.

E são esses mesmos componentes, em combinação entre si e com milhares de outros, os que nos dão as sensações de sabor e de cheiro nas coisas comuns do nosso dia-a-dia: as frutas, as especiarias, nossas guloseimas prediletas… Leia mais...

O problema dos aromas

“Che gusto c’è mangiare se non se ne può parlare?”

Que gosto existe em comer se não se puder falar sobre a comida?” – pergunta Rossano Nistri, em seu “Dire, Fare, Gustare”, que é um manual para a conscientização e capacitação de verdadeiros professores do gosto, publicado pelo braço editorial do grupo Slow Food.

O movimento liderado pelo genial Carlo Petrini tem um projeto com o escopo de difundir nas escolas o ensino às crianças sobre sua comida, mas não com o foco “nutricional” ou o da “boa alimentação”. De… Leia mais...

Il Sommelier


Antonio Albanese via @bronza Leia mais...

Guia de Vinhos sob nova administração

Não é sem motivo que são os mais velhos a levar adiante a tocha do vinho – é um universo que requer contato prolongado e, porque não, boa dose de recursos financeiros para permitir aquisição de experiência, avanços concretos e compreensões aprofundadas.

Os grandes enólogos, os maiores autores, os mais famosos degustadores, principais expoentes da cultura enológica, são respeitáveis senhores com algumas – as vezes várias – décadas de experiência.

Temos visto com freqüência (suficiente para que já esteja próximo do clichê) os destaques da mídia para a nova guarda da enologia mundial: filhos, sobrinhos… Leia mais...

Notas rápidas de sábado à noite

Finalmente em companhia do Chico e da Cata, arrematamos o último golinho do Château Chalon 1990 do Courbet (que eu surrupiei no penúltimo encontro de quinta) pra abrir o apetite e refrescar do calor burro, praticamente entornamos um Clos Mathis 2006 do Ostertag e passamos a noite descobrindo o Barbaresco Brich Ronchi 2004 Leia mais...

Sprechen sie wein?

Depois de quatro dias de Alemanha eu já tinha uma caderneta de notas preenchida por inteiro, dentes já doloridos, sono completamente desritmado e ainda três dias de feira pela frente (antes de seguir com viagens e degustações). Nada como provas in loco e gente disposta a fazer de tudo para promover os vinhos do seu país…

Os alemães são surpreendentemente gentis – bom, os produtores alemães são gentis, pelo menos. É claro que nas ruas se encontra de tudo e, aparentemente, a piada do português que aprendeu matemática faz bastante sentido – os coitados perdem o rumo… Leia mais...

Maria Thun e a degustação biodinâmica de vinhos

Quando li pela primeira vez que se falava em “degustações biodinâmicas” ao invés de simplesmente “vinhos biodinâmicos”, procurei saber um pouco mais mas não dei muita bola ao assunto. Descartei-o como uma forma de fanatismo ou lobby dos produtores biodinâmicos e não pensei mais nisso.

Gosto muito dos vinhos biodinâmicos em geral: sem entrar no mérito das técnicas de cultivo e produção que caracterizam um grupo cada vez maior de produtores que aplicam os ensinamentos do austríaco Rudolf Steiner, seus vinhos são, em geral, extremamente bem produzidos, ricos em sutilezas aromáticas, equilibrados e representativos… Leia mais...

Notícias Rápidas

1. Alguns acompanharam pelo Twitter a primeira parte (a sóbria) do desbunde total da minha confraria que é o almoço-jantar de fim de ano (Sério. 8 horas de pajelança). Vários ícones da história do mundo do vinho estavam lá, a conversa passou por todos os campos do conhecimento humano e ainda ganhamos alguns livros de presente… Meu celular tomou banho de Bonnes Mares e passeou no prato de gnocchi, mas deu pra registrar coisas com a câmera e o moleskine. Acho.

2. É possível, vejam bem, possível, que muito em breve eu consiga uma… Leia mais...