Archive

Posts com a Tag ‘opinião’

Degustadores e Amadores, Epifanias e Pontuações. Sempre as pontuações.

Venho lendo aos poucos os artigos do livro “Questions of Taste”, uma coletânea de reflexões sobre os mais variados temas do mundo do vinho com um enfoque filosófico, mas com alto potencial de aplicação prática. Esta noite, fiquei feliz em descobrir algumas que me esclarecem ainda mais o problema das pontuações.

Barry Smith, o organizador da coletânea e autor de alguns dos artigos, discorre em um deles sobre a subjetividade da prova e, em especial (ao menos para mim) sobre como as mesmas são diferentes para um degustador experiente e um novato ou apreciador. Barry discorre bastante sobre o quanto céticos se tornam os “amadores” quanto às elaboradas, descritivas e, aparentemente, fantasiosas notas de degustação dos “especialistas”. Ele constrói bem uma base sobre a análise objetiva de vinhos para então dizer: […] Leia mais...

Pontuando de novo

A Helô, do É só um diário… virou leitora assídua do Peripécias e contribuinte séria para o debate sobre as notas. Lendo seu post (que comentava do meu post, que comentava do post do Elliot, que comentava do post do Lillie num meta-comentário quase cansativo), resolvi deixar meus “dois centavos” no blog dela, mas eles acabaram se tornando um texto…
Seguem aí meus “dois mil dólares”:

Quanto às pequenas variações na pontuação, entende-se que pontuações “técnicas” sigam um método que dá pontos de acordo com uma avaliação razoavelmente objetiva – pontos máximos são atribuídos… Leia mais...

Pra completar – ainda sobre notas

Opa, opa! Gostei do movimento gerado pelo último post. Para adicionar conteúdo ao debate, um trecho de entrevista da Veja com a especialista Jancis Robinson, em que ela fala justamente sobre a diferença de opiniões entre os avaliadores (os negritos e itálicos são resultado da minha intromissão):

Veja – Há quatro anos, a senhora deu uma nota baixíssima a um vinho bem avaliado por outro crítico respeitado  — e controverso — , o americano Robert Parker. Afinal, chegou-se à conclusão de quem estava certo?
Jancis A verdade é que não existe certo e